Por Sabrina Gabriela dos Santos

Todo atleta que inicia uma corrida, ao fim, pretende atingir um objetivo. Essa meta não foi determinada durante o trajeto, nem ao fim e sim no início ou antes mesmo. Sendo assim, se tem um início, tecnicamente deve haver um objetivo a ser alcançado ao final. Mas esse “fim” não deve ser encarado como um encerramento, mas a conclusão de uma etapa que acrescenta na chegada de um propósito maior.

E o que o marketing jurídico tem relação com isso? Tudo. É assim que funciona na prática. É hora de desmembrar o objetivo principal, em várias metas a curto, médio e longo prazo. Se o objetivo é conquistar 60 clientes em 1 ano, precisa garantir 30 a cada 6 meses e 5 a cada mês.

Planejamento é o essencial! Estipulando a meta, se planeja como alcançá-la, buscando as ferramentas e canais específicos.

Com base em alguns objetivos e segmentos, podemos recomendar algumas dicas:

Blog + estratégia de conteúdo: escritórios que querem se tornar referência em seus mercados, atraindo visitantes qualificados e gratuitos.

Estratégia para mídias sociais: escritórios que desejam estar presentes nas mídias sociais, criando audiência e se relacionando com potenciais clientes.

Pesquisa de palavras chave + ajustes estruturais para SEO: escritórios que desejam criar uma audiência qualificada, estar bem posicionadas em buscadores como Google e atrair visitantes por meio da busca orgânica.

Estar no Google meu Negócio Ideal para: escritórios que desejam ser vistas por usuários próximos.

Campanha no Google AdWords: escritórios que desejam acelerar a geração de Leads qualificados a curto prazo.

Facebook Ads + Like Gate: escritórios que querem aumentar a base de fãs no Facebook utilizando, para isso, Facebook Ads.

Lembrando que ao pesquisar marketing jurídico digital no Google, irão aparecer várias dicas, várias “fórmulas” de sucesso, no entanto, lembre-se, se o objetivo é diferente, os caminhos para atingi-lo também serão. Então, foque em sua estratégia e mãos à obra!

Faça o download dessa publicação, aqui!