Épocas como a virada do ano são tradicionalmente marcadas pela atualização dos planos. No âmbito pessoal, é comum pensar sobre viagens, férias, novas aquisições e investimentos. Já no mundo corporativo, o período é decisivo para o estabelecimento de metas e o planejamento do orçamento para o ano todo.

Mas antes de partir para a ação, é preciso estar claro qual é a situação atual e onde se pretende chegar. Por isso, especialistas garantem que a definição de metas é a etapa mais importante dessa caminhada. Não é à toa que existem várias técnicas focadas apenas em aprimorar esse primeiro passo.

Uma delas é a técnica SMART, sigla que resume os cinco itens que garantem a boa formulação de objetivos. Segundo a técnica, ele deve ser specific (específico), measurable (mensurável), attainable (atingível), relevant (relevante) e time-related(temporal).

Segundo o coach João Consenza, esse método pode ser aplicado no planejamento pessoal e profissional, individualmente ou em grupo. Seu funcionamento é simples, basta passar a meta por esses filtros, verificando se ela está de acordo com eles. Por exemplo, se uma empresa automotiva quer reduzir custos, ela pode estabelecer que quer diminuir em 30% os gastos com a produção em um setor específico, e isso deve acontecer até novembro de 2017. A partir dessa definição, que é o primeiro passo, é possível partir para as estratégias e ações.

É importante lembrar que o planejamento, geralmente definido por conselhos administrativos e diretorias, vale para todos os outros setores da empresa. Cada departamento tem os indicadores que vão mostrar o andamento das metas. O coach ressalta o cuidado que se deve ter com cada funcionário durante essa formulação. “As metas devem ser desafiadoras, mas não impossíveis. Senão você estressa o funcionário, eles não conseguem bater e perdem os bônus usados como incentivo. Isso desmotiva a pessoa e desqualifica a empresa, que perde potencial de trabalho e mercado.”

 Consenza explica que a técnica é simples e pode ser desenvolvida através de uma conversa ou com uma tabela que faça um check list de cada item, garantindo o quanto a meta é SMART ou não. Para ele, o mais importante é que essa meta esteja alinhada com o propósito da empresa, do contrário, ela pode até ser atingida, mas não vai levar a lugar nenhum. “Uma meta dissociada dos valores fica incoerente”, alerta.

Técnica S.M.A.R.T

Método propõe avaliar as suas metas e garantir que elas sejam atingidas:

Specific (específica)

Suas metas devem ser formuladas com precisão, sem deixar brechas. Os objetivos generalistas tendem a ser menos eficazes.

Measurable (mensurável)

Como saber se você atingiu sua meta ou não? É importante achar uma maneira de quantificar o objetivo, para calcular o quanto falta para ele ser concluído. Por mais subjetivo que ele seja, procure uma forma de medir suas conquistas em termo de valores ou volumes.

Attainable (atingível)

É necessário avaliar o contexto em que a meta está inserida. Verifique que dificuldades podem surgir e se os prazos estão bem estabelecidos. O objetivo deve estar alinhado com a disponibilidade de tempo e recursos para o projeto.

Relevant (relevante)

Essa meta faz sentido para você? Quanto mais significado ela tiver, mais energia será concentrada nela. Nesse caso, avalie o contexto também, para verificar se essa meta vai ajudar você a chegar exatamente onde quer, ou se pode acabar desviando sua atenção do objetivo final.

Time-related (temporal)

O caminho até a realização pode ser longo, então fica mais fácil se você dividir em etapas. Defina um intervalo de tempo para cada passo a ser dado. Isso torna a meta tangível e mais fácil de ser organizada.

Fonte: Gazeta do Povo.